Pesquisar

quarta-feira, 18 de maio de 2011

Dia de folga para o pão

Eu não sei vocês, mas eu, por mais que goste de pão, às vezes sinto vontade de comer algo diferente no café da manhã ou no lanche. Por isso, Inspirada na proximidade das festas juninas, darei umas sugestões gostosas e nutritivas para quem gosta de variar.
Para quem quer deixar o pão para outro dia, minha sugestão é comer aipim cozido com manteiga ou margarina _ vai da preferência e necessidade_ ou mesmo azeite. Sim, pode parecer estranho para muita gente, mas vale comer azeite no café da manhã ou no lanche! Pra quem aprecia esse óleo, não é sacrifício nenhum usá-lo no lugar da margarina, por exemplo. O inhame também tá valendo! Para acompanhar, um café quentinho. Acreditem, fica uma delícia!

Ainda na linha salgados, o milho cozinho é uma ótima opção também!

Para aqueles que preferem algo com sabor mais adocicado, minha sugestão é batata doce, que pode ser pincelada com melado (você encontra em qualquer mercado grande), mel ou uma manteiguinha, se a preferência for um sabor misto.Café, chá, mate, café com leite... Vai do gosto ou necessidade de cada um!

Aipim, inhame, batata doce e milho necessitam de cozimento, não é? Em panela de pressão ficam prontos em pouco minutos, logo, o preparo não é exatamente um problema. Para quem não tem tempo ou paciência, há nos mercados produtos já descascados para facilitar nossa vida corrida. Então, vamos dar folga para o pão? E, de quebra, nos dar uma chance de nos deliciar com outros sabores, dando para uma segunda-feira um sabor especial de festa! Festa junina, julhina e todas as demais que fazem da nossa cultura algo delicioso e cativante! Caminho da roça, minha gente!

terça-feira, 8 de fevereiro de 2011

Para combinar: Kümmel e  hortelã

Sei que ando sumida por aqui. Além das horas investidas nos livros e artigos para entender melhor como se dão as questões da Educação Nutricional para poder escrever textos interessantes e contribuir de maneira mais consistente_ adoro essa palavra_, tenho também me embrenhado nos caminhos da crítica cinematográfica, minha outra paixão.
Dito isso, aproveito o meu dia de repouso_ joelho lesionado_ para falar desta minha paixão pela alimentação. E para tal, me senti tentada a falar de café. Mas, porque? Quem me conhece, sabe que eu amo cafeterias. Fico feliz como criança quando descubro uma cafeteria nova e chamo os amigos para conhecer. Não só pelo lugar que me encanta com seu charme e gastronomia singular, mas, claro, pelo café! 
Hoje de manhã me deliciei com uma combinação descoberta recentemente: um pão com Kümmel* sobre o qual eu passo uma camadinha de doce de leite argentino. Para acompanhar: café forte! Delícia! O que tem de tão especial nisso? O Kümmel tem um sabor que lembra o anis (algo picante e refrescante ao mesmo tempo) que combinado ao doce de leite (com sabor bastante doce e "fechado") resulta num sabor equilibrado e delicioso, principalmente indicado para quem gosta de doce, mas se incomoda com aquele sabor doce exagerado que fica na boca, meio enjoativo.


Outra combinação descoberta dia desses passeando na serra, foi o bolo de nozes* com hortelã para acompanhar o café! Essa combinação segue a mesma lógica. Para aqueles que acham o sabor das nozes (algo muito "terroso") enjoativo, olha que beleza: a hortelã dá a refrescância que as nozes precisam para serem felizes. Resultado, aquele bolo que tinha tudo para ter um sabor intenso e "cansativo" para algumas pessoas, fica leve e gostoso! E o café vem completar o conjunto.
Para quem não curte café, indico qualquer outra bebida de sabor mais intenso como mate ou chá preto.
E, como nutricionista que sou, além de falar da gastronomia, dos alimentos e  de suas fascinantes características,  deixo a dica dietética também: comer essa delícia no café da manhã ou lanche da tarde, porque comer de sobremesa do almoço ou do jantar pode ser caloria demais para um metabolismo só.
*Kümmel: especiaria super utilizada na culinária alemã com sabor que lembra o anis
*nozes: refiro-me à noz da nogueira (que, pra mim, parece um  cérebro em miniatura, não acham?), aquele do clássico bolo de nozes. Explico isso porque nozes, na culinária, é nome genérico para uma categoria que inclui ainda noz de pecã, de macadâmia, avelã, castanha do pará, de caju e por aí vai.