Pesquisar

quinta-feira, 10 de dezembro de 2009

Pinna: O que houve nesses pavilhões auriculares que eu não me surpreenderia?! Tem um caule com miócitos cardíacos com tanta vida, não por ser verde, mas por ter força. Eu não diria "adeus minha concubina", eu diria bem-vindo artista das cores a esse universo onde você não teme doar seu sentimento inteiro.



Meu irmão chama de poesia biofuturista. Eu chamo de legenda insólito-científica!

Ele desenha, fotografa, desconstrói o óbvio, é artista! Eu divago, hematopoietiso

Nosso primeiro trabalho em parceria fraterna, em exposição em SP.



Nenhum comentário: