Pesquisar

segunda-feira, 10 de agosto de 2009

O curioso caso da laranja-esponja

Eu já vi todo tipo de desculpa ou justificativa pra alguém comer algo que não deve sem ser recriminado. Alguns me olham numa mesa de bar e dizem “olha, eu só como batata frita no fim de semana”. Ou numa festa: “só tô comendo brigadeiro porque quase não vou a essas festinhas”. Ou então: “vou almoçar um mega-podrão na esquina porque hoje não vou jantar mesmo”. Ou ainda: “Preciso comer um chocolate senão vou ter um ataque!”. E não menos importante “Vou beber um chopp porque meu trabalho é muito estressante”. Na verdade, a gente come porque quer e gosta. Ninguém precisa de chocolate, cerveja ou hamburguer engordurado. Biologicamente falando, claro! Mas eles existem, esses ameaçadores da saúde e silhueta alheias, e às vezes parecem que foram inventados só pra nos atormentar...

Um bom exemplo disso é a feijoada. Imagina quem gosta de comer um feijão carregado e não pode porque está acima do peso ou com colesterol alto. Deve ser bem frustrante... Daí, pra resolver esse impasse, surgem receitas mirabolantes para comer a tal da feijoada, na íntegra e sem culpa. No melhor estilo “Essa eu vou comer porque é light, não tem problema”. E mesmo sem nenhuma comprovação científica dessa afirmação, o amante do dito feijão vai na fé e acredita que vai dar tudo certo. Se tão dizendo que é light, é light!

A última receita que recebi ensina a pessoa a cozinhar a feijoada com uma laranja inteira dentro, alegando que a laranja sugaria a gordura da feijoada, tornando a mesma indicada para o consumo liberado. Espera aí! Ninguém ainda estudou o quanto uma laranja, como uma sonda vasculhando as profundezas abissais de uma feijoada, pode recolher material lipídico em sua missão “panela de pressão”, resultando numa feijoada light (menos gordurosa). Talvez uma pessoa muito criativa e com tempo sobrando, olhou pra panela, pra laranja e pensou: “Porque não? Se dizem que comer laranja diminui colesterol, e se ela fosse dentro da feijoada...” Bom, vamos organizar as ideias. A laranja tem pectina, uma fibra que diminui a absorção de gordura no intestino. Mas isso não quer dizer que a laranja vai fazer isso dentro da feijoada! Encontrei um blog* que descreve esse experimento de maneira informal e não encontra diferença entre a feijoada cozida com a laranja e sem a laranja. Aliás, a “versão laranja” teve alterações de cor e aroma em relação à tradicional. Esse experimento não foi cientificamente controlado, mas já dá resultados parciais bem reveladores.

Concluindo, ou se faz uma versão light de verdade, com carnes magras ou come-se a versão tradicional da feijoada com moderação. O jeito é consultar um Nutricionista para iniciar as negociações! Que vença a melhor opção pro seu paladar e pra sua saúde!


*http://come-se.blogspot.com/2009/01/laranja-rouba-gordura-da-feijoada-mito.html



4 comentários:

Felipe disse...

Vendendo seu peixe né bonitona???rs

Mônica Lobo disse...

Foi impossível ser imparcial, concorda? ;)

Tatiana disse...

Amiga mt bom o texto...realmente a criatura q inventou essa história da relação da laranja com a feijoada merecia um prêmio de criatividade...:-P
O fato é q as pesoas querem sempre arrumar um jeito ou uma desculpa pra comer o q faz mal a saúde sem q isso os deixe com uma tremenda culpa...é mais facil tapar o sol com a peneira do q encarar a realidade...quer comer direito e saudável vá a um nutricionista...nós sim sabemos como orientar e aconselhar...causa mais q apoiada...hihihihi....!!
mil beijinhos amiga nutri...:-P

Mônica Lobo disse...

Ser bom ou não pra saúde depende de quantidade, qualidade, frequência etc. Não dá pra tapar a panela com uma laranja. rsrsrsrs