Pesquisar

quinta-feira, 25 de junho de 2009

Neurônios Wars: a picanha contra-ataca.

Hipotálamo, palavra estranha para dar nome a uma estrutura na parte central do nosso cérebro que controla a nossa fome, o dito controle de saciedade. Você já comeu o suficiente? Ele manda sinal pra você parar. Comeu menos do que precisa? Ele sinaliza pra que você continue comendo até que ele avise que já é suficiente. Simples assim? Não! Existem muito fatores entre o parar e o continuar comendo. Além do apelo dos alimentos_ como chocolate, uma fatia de torta ou um sacão de pipoca com manteiga_ que desempenham um efeito emocional poderoso em nós, vítimas famintas, há um mundo pouco conhecido de fatores biológicos envolvidos.

Recentemente, pesquisadores da UNICAMP concluíram um estudo mostrando que uma dieta rica em gordura saturada_ aquela das frituras, da linguiça, da picanha..._ gera um processo de inflamação que ataca o hipotálamo, provoca a morte de neurônios importantes, prejudicando o controle do apetite. Após a morte desses neurônios, mesmo com o consumo de uma dieta equilibrada, a perda de peso fica prejudicada. Em outras palavras, comer muita gordura saturada além de engordar, faz com que o indivíduo tenha dificuldades em emagrecer. Isso ocorre porque o apetite fica fora do controle do cérebro.

No mesmo estudo, os pesquisadores observaram que o consumo de azeite (gordura monoinsaturada) protege o hipotálamo e contribui para o emagrecimento. O indivíduo que come mais azeite que fritura, além de não tender a engordar, tem mais facilidade pra emagrecer.

Essa pesquisa foi inédita e importante para ajudar a entender porque algumas pessoas que sofrem de obesidade, mesmo sob orientação especializada, não conseguem a perda de peso desejada. Já se cogita, inclusive, no futuro, uma terapia com células-tronco para regenerar o hipotálamo como uma forma de curar a obesidade.

Por hora, vai bem investir no azeite, dá uma maneirada nas frituras e picanhas da vida e aguardar as novidades científicas.

Nenhum comentário: