Pesquisar

segunda-feira, 22 de setembro de 2008


O que você quer ser quando crescer?


Alguns vão dizer que você está ficando velho, pra desafiar seu estado de espírito. Mas você está se sentindo tão leve... O telefone toca o dia todo, as mensagens chegam e cada uma dessas palavras são ingredientes de uma infalível receita de juventude. Você vai receber carinho, abraços e notar que alguns te esqueceram e outros foram esquecidos por você. É hora de reatar amizades ou perdê-las pra sempre. A gente se perde com o tempo... Há os que te querem bem, mesmo em silêncio. Pare para ouvi-los também. Vale à pena. Talvez você ganhe bombons de uma amiga ou um livro do namorado. Não há regras. Sentimentos não vêm embalados pra presente. Nesse dia, a pessoa mais importante pode nem aparecer. Pode nem se lembrar que aquele dia é o dia. E nem por isso ela gosta menos de você. Ela pode ser distraída e comprar o sapato no número errado. Ou, na pressa do dia-a-dia, esquecer que você não fica bem de amarelo. O que eu duvido é que ela deixe de pensar em você um só dia do ano. Quer coisa melhor que isso? Se os implicantes estão errados e você não ficou velho, é provável que você queira da sua mãe aquele bolo delicioso que só ela sabe fazer. Quem sabe você passe a tarde inteira fazendo brigadeiro e enchendo bolas. Senão, podem estar preparando tudo sem você saber. Aposto que no momento da surpresa, até chapéuzinho você vai usar... É irresistível! Mesmo que resolva sair e passar a noite num bar, não vão faltar pessoas a sua volta cantando “aquela musiquinha” e rindo da sua cara vermelha de vergonha. A cada ano, temos um dia especial quando o mundo conspira a favor da nossa alegria. Neste dia, a gente pode ser o que quiser. Ser criança é uma das escolhas mais freqüentes. E mais felizes.


domingo, 14 de setembro de 2008

Bom mesmo é...


Bolo de aniversário;
Ler chupando bala;
Ver filme comendo pipoca;

Andar de roda gigante comendo algodão doce;

Tomar café na varanda à tarde;

Caminhar na praia tomando sorvete;

Comer uva no mercado;

Chupar manga no quintal;

Tomar chocolate quente debaixo da coberta;

Comer churrasco com os amigos;

Feijão que a mãe faz;

Pão de queijo crocante por fora e molinho por dentro;

Bala de menta e água no verão;

Água de coco de frente pro mar;

Brigadeiro de panela com a amiga;

Frango assado com farofa no domingo;

Docinho de festa de criança;

Maçã de amor em noite de São João;

Pão quentinho da padaria;

Fatia de melancia quando tá calor;

Cheiro de refogado;

Carne assada com batata da vovó...