Pesquisar

quarta-feira, 10 de outubro de 2007

O Congresso e a Melancia

Estava eu no quarto do hotel, com vista pro Congresso Nacional, juntamente com minha colega de trabalho. Tínhamos a tarde livre: "Vamos passear!" Pois bem; eu não tinha levado tênis, nem sandália; só dois sapatos. Ela comprou um tênis pra ela e eu não achei nada de interessante pra comprar. Portanto, peguei o chinelo dela emprestado, e dana a andar! Passamos por alguns dos pontos turísticos de Brasília: a Catedral, o Museu de Brasília, os Ministérios, a Torre de TV, e enfim, a última parada, o Congresso Nacional. Mas tinha um “porém”, tava um sol do “piiiii”, naquele lugar seco da “piiiiii”... Água não dava mais conta.
Não tem camelô na rua! Precisávamos de algo suculento. Foi, então, que avistamos uma banca de frutas! "Ah, é isso!". Érika comprou abacaxi e eu, melancia. Eles, lá, cortam a fruta em pedacinhos e põem num saco plástico que ainda acompanha guardanapos e garfo! Perfeito! Compramos. E seguimos a caminhada. Na metade do saco eu não agüentava mais comer, era melancia demais...Fechei o saco e segui andando.
Chegamos ao Congresso e descobrimos que poderíamos entrar; afinal, somos Cidadãs Brasileiras! Aí tirei a foto: Eu (a fotógrafa), o saco de melancia (em primeiro plano) e o Congresso (ao fundo). O fato de parecer que o prédio está afundando foi mera coincidência... Mas até que faz sentido...
E foi assim que eu entrei no Congresso Nacional, de chinelo e com um saco de melancia...Depois sentamos no plenário (onde descobri que o Enéas havia morrido, snif) e ainda tive que aturar cantada de político babão... Mas essa já é outra estória...

Por Carol Rangel (colunista convidada)

Nenhum comentário: